Pinceladas com @isaiane

Além de artista, Isaiane Mendonça é uma contadora de histórias e sua voz soa tão profunda quanto seus traços, em uma narrativa autêntica e deliciosa.

Sempre que alguém pergunta se é artista entra numa crise existencial por não saber qual definição de artista considerar. Desenha pra distorcer o mundo real em um surreal, preto e branco e, sem pudor de dizer, melancólico.

Diz Isaiane:

Nordestina, irmã mais velha, filha de mãe troca o nome das duas únicas filhas, neta de avó artesã, a prima mais estranha, a aluna mais calada com a última matéria do caderno mais riscada, possuidora de alguns problemas na gramática por passar as aulas de português desenhando.

Não tenho muitas lembranças de como comecei a desenhar, lembro-me de sempre estar desenhando ou falando sozinha pelos cantos, embora tenha tido uma infância muito boa, correndo atrás de bolas no meio da rua e levando carreira* de cachorros.

Sempre tive muita imaginação, como uma prima minha gosta de falar, quando eu era criança não tinha um amigo imaginário, tinha uma legião deles. Bolando uma teoria rápida aqui, o gosto pelo desenho deve ter nascido da necessidade de materializar o meu turbilhão de imaginação e minha falta de lembranças dessa época muito provavelmente se deve ao fato de a memória ter cedido seu espaço para as reuniões da legião imaginária.

Quando criança também presenciei as mil e uma facetas artesanais da minha avó, que fazia desde suas panelas de alumínios a cestos de palha e bonecas de barbante. Era algo que eu achava realmente fascinante, algumas delas eu aprendi.

Eu não classifico meu estilo artístico, para ser sincera eu nem sei dizer quais técnicas eu uso ou se realmente são técnicas, apenas desenho e às vezes tento algo diferente só pela curiosidade de saber qual seria o resultado. Será que isso poderia ser chamado de curiosidade experimental?

Duas dicas para quem quer começar

Primeira dica: Deixe de preguiça. Na maioria das vezes sempre temos boas ideias e aos invés de colocarmos em práticas bolamos motivos, desculpas para não executá-las, isso nada mais é que preguiça de começar algo novo, autossabotagem. Tipo eu agora, com preguiça de começar um novo projeto, é triste.

Segunda dica: compre materiais novos, nem que seja uma canetinha nova, sempre ficamos empolgados para inaugurar coisas novas, mas não vire um comprador compulsivo, isso faz mal.

Duas cores para combinar

Preto e branco
isa

Duas músicas para inspirar

Carousels - Beirut
Traveling Salesman - Patrick Watson

Dois lugares para viajar

Sua imaginação e seus sonhos mais absurdos

Dois sites para passear

Art Station
www.giraffeacid.tumblr.com (aproveitando a oportunidade :D)

Duas referências para registrar

Nicolas Delort
Gustave Doré, A Divina Comédia

Dois livros para devorar

Lavagem, Shiko
Maus, Art Spiegelman

Dois filmes para emocionar

Lembranças
Uma Mente Brilhante

Dois Studios da Colab55 para elogiar

@tobefonseca
@ilustrismo

Duas artes da Colab55 para admirar
Coltrane do Studio @ilustrismo
Where am I going to do Studio @tobefonseca
Duas palavras para nortear

Foco e Respeito

Studio na Colab55

Não perca nossas promos

Receba conteúdo exclusivo e saiba das novidades antes!